máscara social de tecido
Do Quyen Hoa (Photo: VNS)

Apesar do uso de máscara social (de tecido) não ser obrigatório, devemos, todos os que têm consciência, usá-la sempre que possível em todas as circunstâncias em que estejamos com alguém fora de nossa casa.

De referir e sublinhar que, o uso de máscara não evita o cumprimento das outras regras sanitárias: Distância social, desinfecção e lavagem frequente das mãos. 

As máscaras devem ser as chamadas “sociais”, ou comunitárias, ou seja, feitas em tecido e reutilizáveis

As descartável devem ser reservadas exclusivamente para os técnicos de saúde ou em situações de risco acrescido. De outra forma poderíamos provocar uma catástrofe ecológica pelo lixo plástico que produziríamos se todos as usássemos.

A mesma lógica se aplica às luvas de latex, de borracha ou outras. Não há razão nenhuma para utilizar luvas de espécie alguma quando se podem lavar as mãos. As luvas só são eficazes se tocarmos em objectos infectados e as deitarmos fora logo a seguir. Andar de luvas todo o dia, como vejo por aí, é potencialmente mais perigoso do que simplesmente lavar as mãos com frequência. E, se todos usarmos luvas para deitar fora, teremos outra catástrofe ecológica.

A quantidade de máscaras sociais (de tecido) a utilizar por cada pessoa, assumindo que fazem uma máquina de lavar roupa por semana, deve ser calculada da seguinte maneira:

  • Sabendo que cada máscara não deve ser utilizada mais do que 3 ou 4 horas, calcular as horas no dia em que necessitará de máscara. 
  • Ter em atenção que, uma vez utilizada uma máscara, não a poderá usar outra vez até que esta seja lavada. Ou seja, não vale usarmos a máscara, chegar ao escritório, retirá-la porque estamos sozinhos e, depois quando nos vamos embora, colocá-la outra vez. Teremos de usar uma outra limpa para irmos embora, neste caso. 
  • Multiplicar o número de máscaras que precisamos num dia pelos outros dias da semana em iguais circunstâncias. 
  • Exemplo: Se calcular que precisarei de 3 máscaras num dia de trabalho normal (mais ou menos 10 horas de utilização, se as usar sempre) (1 até à hora de almoço, 1 até ao lanche, 1 até ao fim do dia até chegar a casa), multiplico essas 3 por 5 dias de trabalho. Precisarei de 15 máscaras por semana. (se não sair ao fim de semana)

As máscaras sujas deverão ser guardadas num sítio próprio para serem mais tarde lavadas na máquina juntamente com a roupa normal da semana. Deverão ser bem secas e podem ou não ser passadas a ferro. Ainda, podem ser lavadas de 30 a 60 graus. A temperatura só é importante para distribuir melhor o sabão pela roupa. É o sabão que desintegra o vírus. 

Creio que este é o melhor e mais fácil método para usar e lavar as máscaras sociais de tecido que todos devemos usar.

Sobre como fazer as máscaras sociais de tecido

A internet está cheia de exemplos, sugestões, moldes, técnicas com máquina de costura, com agulha e linha, sem cozer, com costuras, sem costuras, com dupla camada de tecido, com porta filtros… Há para todos os gostos e feitios, desde as mais simples às mais complicadas, das que imitam as cirúrgicas às mais elaboradas que imitam as FFP, coladinhas à cara. Basta entrar no Youtube e digitar “máscaras diy” (diy quer dizer “do it yourself”). Deixo-vos aqui alguns exemplos:

Só dobrar e pôr elásticos: https://www.youtube.com/watch?v=nauxXkljAVs

Máscara de 3 peças: https://www.youtube.com/watch?v=dF0qa-3AD9s

Máscara plissada: https://www.youtube.com/watch?v=zoecb32NWEk

Sobre os tecidos a utilizar:

Há vários estudos que indicam que o melhor equilíbrio, entre a capacidade de filtragem do tecido e o esforço que temos de fazer para respirar através dele, é o de algodão com mistura de poliéster. Em não havendo, outros tecidos são igualmente eficazes, como pano de cozinha (custa mais a respirar), lençóis, algodão (t-shirts, por exemplo).

Dêem uma espreitadela aqui: 

Melhores tecidos para máscaras: https://smartairfilters.com/en/blog/best-materials-make-diy-face-mask-virus/

Níveis de protecção das máscaras: https://smartairfilters.com/en/blog/diy-homemade-mask-protect-virus-coronavirus/

Para os que não tenham paciência para trabalhos manuais ou que tenham duas mãos esquerdas, sugiro que peçam a outras pessoas que vos façam as máscaras. Mães, avós, amigos…

Ou comprá-las… Há muita gente a querer fazer negócio com isto das máscaras sociais. A ASAE já se pôs em campo e só autoriza as que cumpram as normas estabelecidas pela INFARMED (tipo de tecido para filtragem, medidas, tipo de costuras, instruções, resistência à lavagem, etc). Já há montes de fábricas de têxteis a querer fabricá-las e mesmo a exportá-las. 

Para manusear as máscaras:

Orientação da DGS (nº 019/2020 de 03/04/2020): 

a) Higienização das mãos, com água e sabão ou com uma solução à base de álcool, antes de colocar a máscara; 

b) Colocação da máscara com a face interna virada para a cara, e a face externa virada para fora; 

c) Ajuste da extremidade rígida da máscara ao nariz, cobrindo a boca, o nariz e o queixo com a máscara, certificando que não existem espaços entre o rosto e a máscara; 

d) Não se deve tocar na máscara enquanto esta estiver em utilização; caso tal aconteça, deve ser feita imediatamente higienização das mãos; 

e) Recomenda-se a utilização de cada máscara por um período máximo de 4h por dia, devendo a máscara ser substituída por uma nova no final desse período ou assim que se encontre húmida. A máscara retirada deve ser lavada antes de ser reutilizada; 

f) Se acidentalmente molhar a máscara deve trocá-la por outra bem seca logo que possível. A máscara molhada deve ser lavada antes de ser reutilizada; 

g) A remoção da máscara deve ser feita a partir da parte de trás (não tocando na frente da máscara), segurando nos atilhos ou elásticos; 

h) A máscara deve ser colocada individualizada num saco plástico fechado, até ser colocada na máquina de lavar; 

i) Deve ser feita nova higienização das mãos, no final da utilização e manuseamento da máscara.